27.8.07

Compasso de espera


I’d sacrifice anything come what might
For the sake of having you near

In spite of a warning voice that comes in the night

And repeats, repeats in my ear

Don’t you know you fool, you never can win
Use your mentality, wake up to reality
But each time I do, just the thought of you

Makes me stop before I begin
cause I’ve got you under my skin
(I’ve Got you Under My Skin, por Bono & Sinatra, escutar aqui)


Amanhece o dia.

Claro. Cristalino.

O sol arrepia.

A água fria espevita.

A pele nua salgada.

Pés descalços na areia.

Flutuar num tempo suspenso.

A vertigem do calor.

O cantar lancinante das cigarras na falésia.

Chega a tarde.

O cheiro a tomate e a manjericão.

A sombra fresca.

A grande árvore projectada como uma sombra chinesa.

A brisa suave que afaga.

As flores incandescentes da buganvília trespassadas pela luz.

A preguiça que se aninha.

A grama cortada de fresco.

Baloiçar numa rede.

O piar das rolas num voo rasante.

Os figos inchados que se deixam colher.

Ver o dia esvair-se num campo de sobreiros e oliveiras.

Duas aldeias entre a serra e o mar.

Cai a noite.

Olhar as estrelas dependuradas.

O céu que estremece num clarão.

Chuva de Verão.

A terra solta o perfume.

Um naufrago à deriva numa cama.

Os sentidos à tona.

À flor da pele.

Na escuridão acende-se o desejo.

Tactear o lençol, às cegas, à tua procura.

Sentir-te perto, embora longe.

Tornar tua a mão que em mim desliza.

Encolher-me para preencher o teu vazio.

Iludir o desejo.

Embalar o corpo cansado.

A mente vagueia.

Desperta.

De vigília.

À espreita.

À espera de ti.

Dedicado a G.

9 comentários:

edu disse...

Hmmmmmm, que gostoso... :-)

Anónimo disse...

"É incrível a nossa história
Sem nenhuma prova concreta
Só palavras, que voam com o vento
Imagens que eu guardo na memória

Um segredo inviolável
De uma paixão inflamável
Mas que nunca incendeia
Nem em noite de lua cheia

Às vezes passo dias inteiros
Imaginando e pensando em você
E eu fico com tantas saudades
Que até parece que eu posso morrer

Pode acreditar em mim
Você me olha, eu digo sim
Mas eu nem sei se sofro assim
O que eu quero é você pra mim"

(Você Pra Mim - Fernanda Abreu)

Também na espreita. À tua espera!

G

RIC disse...

No meio de tudo o que não nos deixa esquecer a essencial imperfeição humana, manifesta-se de súbito a perfeição no olhar que se encontra com o nosso e nos diz que aquela vontade está conjugada com a nossa, é síncrona com a nossa.
Dois que por instantes são um. Instantes para a eternidade.
Daí, talvez, alguém ter dito que o amor é eterno enquanto dura.

BlueBob disse...

Olá amigo Oz!

Vejo que está inspirado. O amor inspira qualquer um. Você então. . .

Bjão

Latinha disse...

Quando eu li teu post, a idéia da "espera", me fez lembrar do trecho de uma música que há tempos está guardada...

“...Que a música que ouço ao longe
seja linda e que a pessoa que EU AMO esteja sempre amado,
mesmo que distante,
porque metade de mim é partir
e a outra metade é SAUDADE... “

Abração...

(http://www.youtube.com/watch?v=ujQoUEdXr_8)

Menino G disse...

ohhhh...

Eu já tava alegre pensando que o G era eu...

Lindo o poema, pena mesmo que não é dedicado a mim.

Te adoooooooooooooooooooooooro

Beijos!!!

Ricardo disse...

Oi, Padeiro!

Estou bem, tá?

Passou!

Coloquei pra fora o que me incomodava! Nada melhor que desabafar com amigos!

Beijão!

FOXX disse...

eita
estamos amando?
e sendo correspondidos?
há coisa mais doce?
naum né?
já dizia o poeta...

pinguim disse...

Amigo Oz
não sei do que gostei mais; se foi dao caminhar das horas, vestido com essa roupagem tão cheia de natureza e alguma ruralidade; se terá sido da parte nocturna, em que voltas ao teu tema de sempre: a procura do outro, quiçá de ti próprio...
Abraço.