17.6.07

Hiato


I step off the train
I'm walking down your street again and past your door

But you don't live there any more

It's years since you've been there

But now you've disappeared somewhere like outer space

You've found some better place

And I miss you - like the deserts miss the rain

And I miss you - like the deserts miss the rain

Could you be dead?
You always were two steps ahead of everyone

We'd walk behind while you would run

I look up at your house

And I can almost hear you shout down to me

Where I always used to be

And I miss you - like the deserts miss the rain
And I miss you - like the deserts miss the rain

Back on the train
I ask why did I come again?

Can I confess I've been hanging around your old address?

The years have proved to offer nothing since you moved
You're long gone
But I can't move on

And I miss you - like the deserts miss the rain

And I miss you - like the deserts miss the rain

And I miss you

I step off the train
I'm walking down your street again and past your door

But you don't live there any more

It's years since you've been there

But now you've disappeared somewhere like outer space

You've found some better place

And I miss you - like the deserts miss the rain

And I miss you - like the deserts miss the rain

And I miss you
And I miss you - like the deserts miss the rain
And I miss you - like the deserts miss the rain

The deserts miss the rain - like the deserts miss the rain

The deserts miss the rain
like the deserts miss the rain
(Missing, Everything but the Girl)


Foi uma semana atípica.
Feriado pelo meio.
Uma viagem repentina.
O apagar das velas.
Discussões desnecessárias.
O tempo passa e eu não aprendo.
Chuva fora de época.
Planos por água abaixo.
Um recado cifrado num post, que é suposto eu fingir que não li.
Amigos que não se conformam com o meu sumiço.
Um amigo longe da vista, mas não do coração, que me escuta fora de horas.
Alguém que se revela e me desarma aos poucos. Brincar com o fogo. Fugir pela tangente.
Saudades, ainda não sei bem do quê nem de quem.
Um café, uma conversa simpática, alguém que deixou de ter apenas um rosto, para passar a ter também um corpo, uma expressão, uma voz.
Mala por fazer.
Horas dentro de um avião.
Um itinerário a cumprir.
Gente chata.
Gente divertida.
Vontade de ir.
Vontade de ficar.
Coisas que não podem (mais) ser adiadas.
A vida que quis, mas que já não sei se ainda quero.
Será uma semana atípica.


É mais fácil partir quando não se deixa ninguém a quem dizer I miss you.
Já o regresso faz mais sentido quando, à chegada, alguém nos sussurra I miss you.
I miss you, like the deserts miss the rain.

16 comentários:

Tin Man disse...

E põe atípica nisso... apesar do feriado, no final trabalhei mais do que se não tivesse.

Continuo tentando apostar minha fichas em outros números, mas a roleta insiste em para sempre no mesmo número e cor.

Planos que vão, Planos que vem, Festejos importantes, momentos que no final fazem tudo ter valido a pena.

O importante é que amanhã um nova página começa a ser escrita.

Grande abraço!

"eu aprendi ... a aproveitar a folha em branco que a vida me dá, todos os dias, para tentar tudo outra vez" (Legrand).

Will disse...

Concordo: é mais fácil partir sem deixar lenços brancos para trás a acenar no cais; já o regresso sem ter quem nos sussurre saudades pode ser mais triste.

Também gosto de cafés e de conversas simpáticas: são sempre excelentes oportunidades de conhecimento e aprendizagem do outro. Esta semana também tive um café assim.

RIC disse...

Palavras lançadas na página do diário.
Balanços provisórios e/ou definitivos do que andamos aqui a fazer.
«Quem eu quero não me quer; quem me quer não me faz conta»...
Semanas que voam sem deixar rasto.
Semanas difíceis em que é preciso fingir que tudo está bem, que nada de mais nem de menos se passa.
E comigo a desejada companhia de Billie Holiday, que me vai «falando», vez após vez, de «Stormy Weather»...
Ninguém a dizer «I've missed you».
Vou-me mantendo à tona.
É melhor não me queixar.

:-)

Espirito da Lua disse...

Ola

Gostei muito ;)

Bj Lua

Poison disse...

Deixa eu comentar logo antes que o limite de comments exploda... afinal, uma semana sem vc vai deixar muita gente descompassada... hehehe!!!!

Eu simplesmente adoro essa música que vc postou... vez que outra coloca pra rodar e fica todo mundo me olhando com aquela cara de "hello, os 90's já passaram"... hehehe... mas não tô nem aí!!!!

Adorei seu texto... principalmente o páragrafo que é sobre minha humilde pessoa (era sobre mim, não era??? hahahahahaha!!!!). Você mais do que saber escrever bem, sabe tocar as pessoas! Adoro isso!!!

Sei que a concorrência é grande e desleal, e que, com certeza, não é bem de mim que vc deseja ouvir, mas de qualquer forma, I miss you, português!!!

Abraços e aproveite a estada!!!

Moura ao Luar disse...

Minino pa onde vai tu? vai, mas vem-te!! Na me deixes aqui na seca porque I miss you, até porque eu vivo no deserto e the desert miss the rain! E tu podes ser a minha rain, olha lá que querida eu sou pa ti. Bjouuuuuuu

edu disse...

Vai e diverte-te, volta que te esperamos! Beijo!

pinguim disse...

Amigo Oz
fico-me pela parte do "miss you", a pior das palavras de um adeus, a mais bela, num regresso.
Que tudo te corra bem, onde quer que vás.
Don't forget, we miss you!

FOXX disse...

ah gostei do ritmo do texto
perfeito
perfeito

BlueBob disse...

Oz, pensei que nesses dias em que fiquei meio afastado dos blogs encontraria vários post para ler. Mas vejo que tb esteve ausente. É a vida!
Não sei pq seu post me lembrou a letra de uma música:
"E assim, chegar e partir
São só dois lados
Da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida
A hora do encontro
É também despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida"

Bjs

Menino G disse...

Ihhh... isso é uma despedida?! Que coisa chata, mas eu tb vim para dizer um até logo... tb to de viagem marcada, ou melhor em algumas horas vou estar viajando. Porém, agora com um compromisso: descobrir uma nova espiritualidade. Sandro quer que eu me ligue a alguma religião, acha que eu só vou estar em paz quando me reconciliar com a divindade. Bonitinho isso...

I miss you, Baby! I love you! Do you like me, too?!

Do seu Menino Giro.

João disse...

o miss you é, sem dúvida, a parte mais tiocante do texto... sendo dita por aquela pessoa tem um significado incalculavel!

L. Antão disse...

Fazia algum tempo que não passava por aqui, mas já tenho a leitura em dia. Os teus textos são sempre muito vivos e sentidos. Gosto de perder tempo a ler-te. Um abraço.

Lover disse...

Espero que essa fase esteja apenas de passagem... Grandes verdades dizes e mais verdade deves sentir... Sinceramente, apenas posso-te desejar que estejas cheio de força para arrancar para o futuro e que essas dúvidas e esses incómodos sejam agora fruto de um passado que servirá sempre para melhorar o teu futuro. Um abraço forte e sentido... caso precises de ombro amigo... versatilidades_blog@hotmail.com
Abraço!

Trintinha disse...

Amigooooooooooo! Blz? Nossa, a quanto tempo não ouvia essa música! E vc, por onde anda, hein? BEijos!

Ricardo disse...

Meu querido padeiro... espero que a padaria não feche... se é que entendi corretamente!

De qualquer forma, não suma do MSN!

Beijão!